Ir diretamente ao conteúdo
a hand holding a phone with the scribzee app scan

Como fazer bons resumos? Um guia prático para ti, estudante!

Dicas para os estudantes 01 dezembro 2023

Com os exames e testes a se aproximarem rapidamente, deves estar a pensar em como organizar o teu estudo de forma eficaz. Uma das técnicas de estudo mais populares e úteis é a elaboração de resumos. Segue estas dicas e estarás pronto para enfrentar os teus exames com confiança!

1. Porquê fazer resumos?

Há muitas vantagens em fazeres resumos. Em primeiro lugar, permite-te sintetizar informações importantes e organizá-las de forma clara e concisa. Ao escreveres conceitos importantes em apontamentos curtos, obrigas-te a compreender e a assimilar a informação, o que facilita a sua memorização. Mas porquê escolher resumos manuscritos?

Fazer apontamentos à mão tem vantagens significativas em relação a escrever num computador. Quando escreves à mão, envolves mais o teu cérebro no processo de aprendizagem. Os movimentos da tua mão e as ligações neuronais associadas à escrita ajudam a reforçar a retenção da informação. Além disso, escrever à mão permite-te personalizar os teus resumos através de diagramas, desenhos e cores, facilitando a compreensão e a memorização dos conceitos.

Para além do aspeto manuscrito, é também crucial criares os teus próprios resumos. Quando dedicas tempo a criar os teus apontamentos para revisão, participas ativamente no processo de aprendizagem. Escolhes a informação mais relevante, reformulas com as tuas próprias palavras e organizas tudo de acordo com a tua própria lógica. Este processo de seleção, interpretação e síntese ajuda-te a compreender melhor as matérias e a retê-las mais facilmente. Ao construíres as tuas próprias notas de revisão, crias uma ligação pessoal com o conteúdo, o que facilita a recuperação da informação para uma revisão posterior.

2. Como podes ir direto ao assunto na elaboração dos teus resumos?

Quando preparas apontamentos para fazer revisão, é fundamental saberes selecionar as informações essenciais para maximizar a sua eficácia. Aqui estão algumas dicas para te ajudar a ir direto ao essencial:

  • Tem em conta os objectivos da disciplina: Antes de começares a fazer os teus apontamentos de revisão, certifica-te de que compreendes os objectivos e o conteúdo da disciplina. Identifica os conceitos-chave, as teorias e as informações que o teu professor destaca. Isto vai ajudar-te a concentrar os teus esforços nos elementos mais importantes.
  • Identifica a informação recorrente: À medida que estudas, vais reparar que certas informações se repetem frequentemente nas aulas e materiais didácticos. Identifica essas informações recorrentes e presta-lhes especial atenção quando criares os teus resumos. Estas informações são geralmente essenciais para compreenderes a matéria como um todo.
  • Concentra-te nos conceitos-chave: Os conceitos-chave são as bases sobre as quais assentam os temas das disciplinas. Identifica-os e certifica-te de que os compreendes. Os teus resumos devem incluir definições claras, exemplos relevantes e explicações concisas para cada conceito-chave. Quando dominares estes conceitos, estarás melhor preparado para enfrentar os aspetos mais complexos da disciplina.
  • Adapta os teus resumos ao teu estilo de aprendizagem: Cada pessoa tem um estilo de aprendizagem diferente. Se és visual, utiliza diagramas, tabelas ou gráficos para organizar a informação. Se és auditivo, grava-te a recitar em voz alta as informações mais importantes. Se adaptares os teus resumos ao teu estilo de aprendizagem, será mais fácil para ti compreender e memorizar.

3. Como construir os teus resumos?

Os resumos devem ser simples e claros. Aqui estão algumas dicas para te ajudar a criar resumos eficazes:

Antes de começares a fazê-los, dedica algum tempo a elaborar um plano. Identifica os principais tópicos ou capítulos que tens de abordar e organiza-os por uma ordem lógica. Isto ajudar-te-á a estruturar os teus apontamentos de forma coerente e a seguir uma progressão clara. Podes utilizar títulos e subtítulos para separar as diferentes secções e conceitos-chave.

Para além de uma estrutura clara, a utilização de abreviaturas pode ser muito útil para poupar espaço e facilitar a revisão. Cria uma lista de abreviaturas que utilizarás regularmente, tais como símbolos matemáticos, acrónimos ou atalhos para termos específicos. Certifica-te de que as tuas abreviaturas são consistentes e fáceis de compreender. Isto permitir-te-á condensar a informação, preservando o seu significado e compreensão.

Não te esqueças de utilizar marcadores e diagramas para organizar visualmente as tuas folhas. Os marcadores podem ser utilizados para enumerar pontos importantes ou exemplos-chave, enquanto os diagramas podem ajudar-te a representar visualmente conceitos ou relações complexas. Utiliza cores para destacar informações essenciais e para facilitar a navegação visual pelas tuas notas de revisão.

Não te esqueças de que o principal objetivo é simplificar e condensar a informação essencial para que seja mais fácil para ti compreender e recordar.

4. Como memorizar os resumos?

Depois de teres criado os teus resumos, é importante memorizá-los eficazmente. Lê-os em voz alta para reforçar a tua memória auditiva. Repete a informação em voz alta, associando-a a gestos ou movimentos para estimular a tua memória cinestésica. Outra ferramenta poderosa para reforçar a tua memória é a utilização de associações mnemónicas.

As associações mnemónicas são estratégias que utilizam imagens, rimas, acrónimos ou histórias para criar ligações mentais entre a informação a memorizar e itens que são mais fáceis de recordar. Por exemplo, se tiveres de memorizar uma lista de itens numa ordem específica, podes criar uma frase mnemónica em que cada palavra começa com a primeira letra de cada item da lista.

Para além destas técnicas individuais, a revisão com amigos também pode ser benéfica. Organiza sessões de estudo com os teus colegas para discutir conceitos, fazer perguntas e testarem-se uns aos outros. Explicar os temas a outras pessoas ajuda-te a consolidar os teus conhecimentos e a detetar eventuais lacunas na tua compreensão da matéria. Além disso, o trabalho em grupo favorece a troca de ideias e o estímulo intelectual.

Ao reveres com os teus amigos, podes utilizar os teus resumos para criar questionários ou apresentações orais. Ao se desafiarem mutuamente, aumentas o teu empenho no processo de aprendizagem e melhoras a tua capacidade de recuperar informação quando precisas dela.

Ao combinares técnicas de aprendizagem individual, como as associações mnemónicas, com a revisão com amigos, crias um ambiente de estudo dinâmico e interativo que estimula a aprendizagem e a retenção da informação.

Mantém um equilíbrio entre a revisão individual e a revisão em grupo. Encontra o momento certo para estudares sozinho e para participares em sessões de revisão com os teus colegas, em função do teu estilo de aprendizagem e das tuas preferências pessoais.

5. Com que frequência deves rever os teus resumos?

A frequência com que revês os teus resumos é um fator-chave para uma memorização eficaz. A técnica das revisões espaçadas é um método experimentado e testado para consolidar a memória.

As revisões espaçadas consistem em rever a informação em intervalos regulares, aumentando gradualmente o intervalo entre cada sessão de revisão. Esta abordagem baseia-se na teoria de que a recordação de informações imediatamente antes de serem esquecidas reforça a memória a longo prazo.

Quando criares os teus resumos, reserva tempo para os reveres imediatamente depois de os teres criado. Esta revisão inicial irá consolidar a informação que acabaste de aprender. Depois, planeia uma revisão alguns dias mais tarde para reforçar a tua compreensão e memória.

Após esta segunda revisão, podes espaçar as sessões de revisão, marcando-as para uma semana e depois para um mês. Ao aumentar gradualmente os intervalos entre as sessões de revisão, permite que o teu cérebro consolide a informação a longo prazo e maximiza a eficácia do teu tempo de estudo.

A revisão espaçada ajuda o teu cérebro a fazer a transição da memória a curto prazo para a memória a longo prazo de uma forma duradoura. Também te permite identificar lacunas nos teus conhecimentos e concentrar-te mais na informação que estás a ter dificuldade em reter.

Ao fazeres da revisão espaçada parte do teu plano de estudo, melhorarás a tua capacidade de memorizar e reter informações importantes e aumentarás as tuas hipóteses de passar nos testes e exames. Depois de digitalizares os teus apontamentos, utiliza o scribzee para adicionar um lembrete a essas notas, para que te lembres de as rever na altura certa.

Tem em conta que os intervalos de revisão podem variar em função da complexidade da matéria e da tua própria capacidade de aprendizagem. Não hesites em ajustar estes intervalos de acordo com as tuas necessidades pessoais.

Conclui:

Fazer bons resumos é uma competência essencial para qualquer estudante que queira ter um bom desempenho nos testes e exames. Os resumos ajudam-te a sintetizar a informação, a organizá-la eficazmente e a memorizá-la mais facilmente. Seguindo os conselhos dados neste artigo, poderás criar apontamentos claros e concisos e melhorar o teu desempenho nos exames. Não te esqueças de planear sessões de revisão regulares e de praticar ativamente a utilização dos teus resumos. Boa sorte! 😊

Share :